Vida mais ou menos ou vida plena? A escolha é sua!

escolhasSabe aquela pessoa que toda vez que te procura e sempre, mas absolutamente sempre tem um problema para te contar? – Pois é… Provável que todo mundo conheça uma pessoa assim.

Você recebe ligação, mensagem de voz, e-mail, vê as postagens do Facebook e só dá reclamação.

Chega quase a dar um sentimento de tristeza quando você lembra dessa pessoa, e fica pensamento, “Caramba, mas porque será que tudo dá errado para essa pessoa?

E pode ser que aí esteja o problema.

A questão dessa pessoa pode ser exatamente isso: Ser triste dá mais ibope do que ser feliz.

Quando essa pessoa faz esse movimento, de alguma maneira, consegue prender a atenção, ter palavras de consolo das pessoas e talvez um pouco de carinho e cuidado.

Algumas pessoas, sem querer ou perceber, aprendem a encarar a vida de uma maneira negativa, difícil, penosa, sacrificada. E tudo que vem desse referencial, só pode oferecer a mesma medida, ou seja, coisas difíceis e penosas.

Quando começamos a ver a vida sob uma perspectiva de escassez e falta, dificuldade e sofrimento, a nossa percepção ficará alterada e só começará a responder a isso.

Vou dar um exemplo: Outro dia estava conversando com uma pessoa e ela me disse que está buscando um curso específico, e ficou deslumbrada quando percebeu que na maioria dos lugares que ela estava, só se falava sobre isso.

Na verdade, ela despertou o interesse por um determinado assunto e a percepção dela acabou permitindo ela enxergar que isso está a disposição e ela pode escolher isso, da maneira que melhor lhe convir.

O exemplo que eu dei é voltado para algo positivo, mas isso serve também para o negativo.

Quando dizemos que nossa vida é difícil, que nunca consigo determinada coisa, eu só estou permitindo que as coisas aconteçam exatamente desse jeito.

Por mais estranho que possa parecer, não são as coisas ou a vida que nos coloca nesse lugar, a responsabilidade é única e integral nossa.

Então, quando você encontrar aquela pessoa que leva a vida vendo as coisas do jeito ruim, lembre-se que de alguma maneira, ela escolheu ver ou viver ela assim.

Mas que existem outras maneira de seguir adiante, isso eu posso garantir que existem sim, porém, a escolha é sua, sempre é só sua.

Então: O que você decide?

Marilice Everton Zanato
Psicóloga – CRP. 06/80972
Fone: (11)-9-6989-0331
marilice@mezpsicologia.com.br
www.mezpsicologia.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s