Gratidão não é modinha

gratidaoA um tempo atrás eu ouvi uma frase que ficou ecoando no meu ouvido eternamente: Essa coisa de gratidão é modinha.

De alguma maneira, acabei voltando no tempo, e acessando memórias de infância em que meus pais me ensinaram a agradecer quando eu recebesse algo que era importante para mim, e também a pedir desculpas quando eu fizesse algo de errado.

Pensei que agradecer é algo que se perdeu com o passar do tempo e virou artigo de luxo.

Agradecer é mais do que falar para outra pessoa que ela fez algo de bom para você, agradecer diz respeito a valorizar o que há no outro em relação a você, e também no que há de bom em você em relação ao outro.

Agradecer é algo que deve ser praticado para tudo o que fazemos.

Engraçado, porque reclamar também podia ser considerado uma “modinha”.

A minha vida está uma droga,
Esse trânsito está impossível;
Olha só esse metrô lotado;
O meu chefe é um chato;
A minha mãe não me deu amor quando eu queria;
Só estou com o meu namorado por dó;
Olha o cabelo daquela pessoa;
E sei lá mais o que…

Falar mal pode, super normal.
Imagina você não ter o que reclamar na vida…

Agora agradecer…. Agradecer é estranho.

Então, neste momento, te convido a tentar agradecer o que é a sua vida.

Agradecer as coisas pequenas, as coisas grandes.

Sabe de manhã, quando você acorda e se dá aquele café? – Ele merece ser agradecido.

Aquela roupa que você escolheu vestir;
Aquele ônibus ou o carro que te levam para onde você tem que ir;
Agradeça a sua família, mesmo não sendo a que você sonhava, mas é a sua, a que você tem , o sistema ao qual você pertence;
Agradeça pelo dia que nasce, a noite de descanso que chega e assim por diante.

Não, eu não estou Pollyana hoje, eu só estou mostrando o outro lado das coisas, quando nos dispomos a agradecer a aproveitar o que é a vida de hoje, o dia e tudo o que está a nossa disposição, mas que esquecemos de olhar e dar um lugar, um valor.

Agradecer ou simplesmente ficar feliz pelo que tem.
Nas pequenas coisas…

Por exemplo, poder fazer uma marmita e levar a comida que você fez para o trabalho.
Poder vestir aquela roupa, com cheirinho de amaciante, que você cuidou, ou cuidaram para você ao lavar;
Tomar banho, e sentir a água cair no seu corpo, aquela água quentinha e que faz sentir bem;
Agradecer e sentir feliz pelo que você tem, agradecer e reverenciar a pessoa que você é.

Quando você agradece, a vida devolve.
Quando você reverencia, a vida entende.
Quando você vê, isso diz respeito a você, no final das contas, você está agradecendo a pessoa que você é.

Simples assim.

Então, começando por agora, o que você tem a agradecer?

Marilice Everton Zanato
Psicóloga – CRP. 06/80972
Fone: (11)-9-6989-0331
marilice@mezpsicologia.com.br
http://www.mezpsicologia.com.br

Anúncios

Um comentário sobre “Gratidão não é modinha

  1. Não acho gratidão modinha e desde que comecei a praticá-la a vida mudou para melhor! Mas quero agradecer a oportunidade de ter te conhecido e constelado com você! Isso melhorou mais ainda minha vida!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s